Qual o melhor bairro para se hospedar no Rio?

Quando eu viajo, na hora de escolher aonde ficar, o meu critério principal é sempre a localização e, claro, o custo-benefício. Por isso, não podia deixar de ter esse post aqui no blog sobre os bairros da cidade e a minha opinião sobre eles pra te ajudar nessa escolha importante. Não sou a dona da verdade e nem quero ser, hahaha, mas eu já morei em 7 bairros diferentes do Rio ao longo da minha vida, então conheço os pontos fracos e fortes de muitos deles. O post é um pouco longo, mas cheio de informação útil!

Primeiro, vamos olhar o mapa da cidade e vou explicar algumas coisas.

A cidade é basicamente dividida em Zona Sul, Centro, Zona Norte, Zona Oeste e Baixada Fluminense.

Zona Sul – região onde estão concentrados o maior número de pontos de interesse turístico, como praias, cachoeiras, Pão de Açúcar, Cristo Redentor, etc. Compreende os bairros: Leme, Copacabana, Arpoador, Ipanema, Leblon, Gávea, Lagoa, Jardim Botânico, Humaitá, Botafogo, Urca, Flamengo, Catete, Laranjeiras, Cosme Velho, Santa Teresa e Glória. A Gloria já é ali mais ou menos aonde começa a região Centro.

Centro – de dia, é o local aonde a maior parte dos cariocas trabalha, com grandes arranha-céus e muito movimento. Tem muitos pontos de interesse por ali, principalmente históricos e culturais: igrejas, museus, centros culturais e pontos históricos. Mas de noite e nos fins de semana, fica bem deserto e não é o melhor local pra se hospedar. O famoso bairro da Lapa também está dentro dessa região, assim como Santo Cristo, Gamboa, Saúde, etc.

Zona Norte – A Zona Norte é enorme, e tem vários bairros. Um dos maiores e mais conhecidos é a Tijuca, que tem várias estações de metrô e fica perto do Estádio do Maracanã. Mas a Tijuca não é um bairro muito turístico, então não tem muita estrutura nesse quesito. Acho que não vale muito a pena, a não ser, claro, que seja a casa de um amigo, Couchsurfing ou uma oferta muito boa no Airbnb. Mas ainda assim, o ideal é que seja pelo menos perto de alguma estação de metrô do bairro (Afonso Pena, Saens Peña ou Uruguai).

Zona Oeste – tem muitas praias lindas, como Joatinga, Grumari e Recreio, mas a estrutura turística deixa a desejar. Cresceu bastante com as Olimpíadas, pois a arena principal era lá, mas não tem indícios de que o crescimento vai se manter. Agora com o metrô linha 4, o transporte para a Zona Sul ficou bem mais fácil. Mas, a não ser que sua intenção seja fazer uma surf trip ou ecoturismo, recomendo ficar na Zona Sul mesmo.

Baixada Fluminense – é composto por outros municípios, na realidade. Coloquei aqui só por desencargo, rs.

OK, Zona Sul é a melhor opção. Mas qual bairro?

Botafogo – Botafogo tem metrô, é perto dos principais pontos turísticos, tem várias ruazinhas bucólicas e tem uma vida noturna animada e descolada. É considerado o bairro hipster do Rio, apelidado carinhosamente por alguns de Botasoho, rs. O bairro tá em pleno desenvolvimento, com cada vez mais opções de hospedagem e entretenimento. Ah, e o Humaitá é um bairro vizinho, mas que fica mais longe do metrô.

Copacabana – um clássico, o bairro carioca mais famoso mundo afora.
Prós: tem várias estações de metrô (Cardeal Arcoverde, Siqueira Campos, Cantagalo e saída D da General Osório), é perto de muitos pontos turísticos e tem boa estrutura, como lojas de câmbio, souvenires e afins.
Contras: justamente por ser muito turístico, acaba sendo mais difícil ter uma perspectiva local da cidade e nos fins de semana fica bem caótico. Apesar de ser o ponto mais agradável do bairro, eu evitaria me hospedar no Leme, Posto 1 da praia, porque não tem metrô pertinho e tem pouquíssimas linhas de ônibus.

Ipanema – bairro famoso que tem crescido cada vez mais em termos turísticos. Entre Copacabana e Ipanema, eu escolheria ficar em Ipanema.  A praia é melhor, e o bairro é mais organizado. O lado ruim é que as coisas são mais caras, e há menos estrutura de serviços.

Leblon – bairro vizinho de Ipanema, que agora tem metrô (estação Antero de Quental), facilitando bastante o deslocamento. Mas eu, particularmente, não sou grande fã do Leblon. É o m² mais caro do Rio, e isso reflete em todos os preços, desde a água que você compra até o preço dos hostels e hotéis. Mas se escolher ficar lá, eu recomendo sem medo o Lemon Spirit Hostel. Já estive lá duas vezes em reuniões relacionadas ao meu trabalho como escritora e fui muito bem recebida. A estrutura é ótima, e o clima também!

Santa Teresa – charme não falta, mas praticidade zero. Escrevo isso com dor no coração, porque morei por uns anos em Santa Teresa e estudei lá quase a minha vida inteira. Adoraria que fosse diferente, mas Santa Teresa tem um problema muito grave: transporte. Há pouquíssimas linhas de ônibus, que conectam o bairro praticamente só ao Centro e ao Largo do Machado, e que normalmente não funcionam até tarde. Se você for sair à noite, pra voltar é difícil até conseguir táxi/Uber que aceite subir. Tendo carro, já fica um pouco mais tranquilo, mas ainda assim é um bairro que não tem bancos (só um 24h), postos de gasolina, só tem um supermercado e mesmo assim meio caído… Enfim, quer um conselho? Não deixe de incluir um dia no bairro no seu roteiro, como esse aqui do post, mas na minha opinião não vale a pena se hospedar lá.

Lapa – a Lapa tem algumas boas opções de hospedagem, mas de noite, nos dias comuns, pode ficar um pouco deserto e ligeiramente perigoso. É lá que fica o maior party hostel da cidade, o Books Hostel. Então se você tiver nessa vibe mais vida loka, pode ser um bom lugar!

Glória – A Glória é um bairro que eu particularmente gosto bastante e é pouco turístico, em que você pode ter uma visão mais local da cidade, se essa for a sua intenção. Tem estação de metrô e em 20 minutos você chega na praia. Um hostel super bem avaliado no bairro (impressionantes 9.6 no Hostelworld) é o Discovery Hostel.

Laranjeiras – o bairro em si é um charme. Bem arborizado, pouco turístico, embora seja bairro vizinho do Cosme Velho, onde fica a estação pra subir pro Corcovado. Lado ruim é que não tem metrô, tem poucas linhas de ônibus e o trânsito costuma ser pesado. Tem alguns pontos do bairro que ficam perto da estação de metrô Largo do Machado ou Flamengo. Nesse caso pode ser uma boa opção!

Lagoa, Gávea, Jardim Botânico – todos esses são bairros nobres da Zona Sul, também bem arborizados e agradáveis. Mas não são nada práticos para turistas: não tem metrô e o trânsito é cruel.

Conclusão

Não tem melhor bairro, tem o que atende às suas necessidades. Então isso vai depender do seu estilo de viagem, orçamento, etc. Minha intenção com o post era dar a minha opinião de moradora do Rio pra te ajudar a escolher. Qualquer dúvida adicional, pode perguntar nos comentários ou mandar e-mail para blogwheninrio@gmail.com.

Beijos,
Manu

Atenção: esse post contém links de afiliados do Hostelworld. Você não paga nada a mais por isso e o blog ganha uma comissão pra poder continuar! E eu poderia ganhar a mesma comissão indicando qualquer hostel da plataforma. Os que eu sugiro aqui é porque realmente acredito que são boas opções! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *