Qual o melhor bairro para se hospedar no Rio?

Quando eu viajo, na hora de escolher aonde ficar, o meu critério principal é sempre a localização e, claro, o custo-benefício. Por isso, não podia deixar de ter esse post aqui no blog sobre os bairros da cidade e a minha opinião sobre eles pra te ajudar nessa escolha importante. Não sou a dona da verdade e nem quero ser, hahaha, mas eu já morei em 7 bairros diferentes ao longo da minha vida, então conheço os pontos fracos e fortes de muitos deles. O post é um pouco longo, mas cheio de informação útil!

Primeiro, vamos olhar o mapa da cidade e vou explicar algumas coisas.

A cidade é basicamente dividida em Zona Sul, Centro, Zona Norte, Zona Oeste e Baixada Fluminense.

Zona Sul – região onde estão concentrados o maior número de pontos de interesse turístico, como praias, cachoeiras, Pão de Açúcar, Cristo Redentor, etc. Compreende os bairros: Leme, Copacabana, Arpoador, Ipanema, Leblon, Gávea, Lagoa, Jardim Botânico, Humaitá, Botafogo, Urca, Flamengo, Catete, Laranjeiras, Cosme Velho, Santa Teresa e Glória. A Gloria já é ali mais ou menos aonde começa a região Centro.

Centro – de dia, é o local aonde a maior parte dos cariocas trabalha, com grandes arranha-céus e muito movimento. Tem muitos pontos de interesse por ali, principalmente históricos e culturais: igrejas, museus, centros culturais e pontos históricos. Mas de noite e nos fins de semana, fica bem deserto e não é o melhor local pra se hospedar. O famoso bairro da Lapa também está dentro dessa região, assim como Santo Cristo, Gamboa, Saúde, etc.

Zona Norte – A Zona Norte é enorme, e tem vários bairros. Um dos maiores e mais conhecidos é a Tijuca, que tem várias estações de metrô e fica perto do Estádio do Maracanã. Mas a Tijuca não é um bairro muito turístico, então não tem muita estrutura nesse quesito. Acho que não vale muito a pena, a não ser, claro, que seja a casa de um amigo, Couchsurfing ou uma oferta muito boa no Airbnb. Mas ainda assim, o ideal é que seja pelo menos perto de alguma estação de metrô do bairro (Afonso Pena, Saens Peña ou Uruguai).

Zona Oeste – tem muitas praias lindas, como Joatinga, Grumari e Recreio, mas a estrutura turística deixa a desejar. Cresceu bastante com as Olimpíadas, pois a arena principal era lá, mas não tem indícios de que o crescimento vai se manter. Agora com o metrô linha 4, o transporte para a Zona Sul ficou bem mais fácil. Mas, a não ser que sua intenção seja fazer uma surf trip ou ecoturismo, recomendo ficar na Zona Sul mesmo.

Baixada Fluminense – é composto por outros municípios, na realidade. Coloquei aqui só por desencargo, rs.

OK, Zona Sul é a melhor opção. Mas qual bairro?

Botafogo – Botafogo tem metrô, é perto dos principais pontos turísticos, tem várias ruazinhas bucólicas e tem uma vida noturna animada e descolada. É considerado o bairro hipster do Rio, apelidado carinhosamente por alguns de Botasoho, rs. O bairro tá em pleno desenvolvimento, com cada vez mais opções de hospedagem e entretenimento. Ah, e o Humaitá é um bairro vizinho, mas que fica mais longe do metrô.

Copacabana – um clássico, o bairro carioca mais famoso mundo afora. Lado bom: tem várias estações de metrô (Cardeal Arcoverde, Siqueira Campos, Cantagalo e saída D da General Osório), é perto de muitos pontos turísticos e tem boa estrutura, como lojas de câmbio, souvenirs e afins. Lado ruim: justamente por ser muito turístico, acaba sendo mais difícil ter uma perspectiva local da cidade e nos fins de semana fica bem caótico. Apesar de ser o ponto mais agradável do bairro, eu evitaria me hospedar no Leme, Posto 1 da praia, porque não tem metrô pertinho e tem pouquíssimas linhas de ônibus.

Ipanema – bairro famoso que tem crescido cada vez mais em termos turísticos. Entre Copacabana e Ipanema, eu escolheria ficar em Ipanema. A praia é melhor, e o bairro é mais organizado. O lado ruim é que as coisas são mais caras, e há menos estrutura de serviços.

Leblon – bairro vizinho de Ipanema, que agora tem metrô (estação Antero de Quental), facilitando bastante o deslocamento. Mas eu, particularmente, não gosto muito do Leblon. É o m² mais caro do Rio, e isso reflete em todos os preços, desde a água que você compra até o preço dos hostels e hotéis.

Santa Teresa – charme não falta, mas praticidade zero. Escrevo isso com dor no coração, porque também morei por uns anos em Santa Teresa e estudei lá quase a minha vida inteira. Adoraria que fosse diferente, mas Santa Teresa tem um problema muito grave: transporte. Há pouquíssimas linhas de ônibus, que conectam o bairro praticamente só ao Centro e ao Largo do Machado, e que normalmente não funcionam até tarde. Se você for sair à noite, pra voltar é difícil até conseguir táxi/Uber que aceite subir, seja por preocupações com as ladeiras ou até com questões de segurança. Tendo carro, já fica um pouco mais tranquilo, mas ainda assim é um bairro que não tem: bancos (só um 24h), postos de gasolina, só tem um supermercado e mesmo assim meio caído… Enfim, quer um conselho? Não deixe de incluir um dia no bairro no seu roteiro, como esse aqui do post, mas na minha opinião não vale a pena se hospedar lá.

Lapa – a Lapa tem algumas boas opções de hospedagem, mas de noite, nos dias comuns, pode ficar um pouco deserto e ligeiramente perigoso. É lá que fica o maior party hostel da cidade, o Books Hostel. Então se você tiver nessa vibe mais vida loka, pode ser um bom lugar!

Glória – A Glória é um bairro que eu particularmente gosto bastante e é pouco turístico, em que você pode ter uma visão mais local da cidade, se essa for a sua intenção. Tem estação de metrô e em 20 minutos você chega na praia. Um hostel super bem avaliado no bairro (impressionantes 9.6 no Hostelworld) é o Discovery Hostel.

Laranjeiras – o bairro em si é um charme. Bem arborizado, pouco turístico, embora seja bairro vizinho do Cosme Velho, onde fica a estação pra subir pro Corcovado. Lado ruim é que não tem metrô, tem poucas linhas de ônibus e o trânsito costuma ser pesado. Alguns pontos do bairro, no entanto, ficam perto da estação de metrô Largo do Machado ou Flamengo.

Lagoa, Gávea, Jardim Botânico – todos esses são bairros nobres da Zona Sul, também bem arborizados e agradáveis. Mas não são nada práticos para turistas. Não tem metrô e o trânsito é cruel.

Conclusão

Não tem melhor bairro, tem o que atende às suas necessidades. Então isso vai depender do seu estilo de viagem, orçamento, etc. Minha intenção com o post era dar a minha opinião de moradora do Rio pra te ajudar a escolher. Qualquer dúvida adicional, pode perguntar nos comentários ou mandar e-mail para blogwheninrio@gmail.com.

Beijos,
Manu

Atenção: esse post contém links de afiliados do Hostelworld. Você não paga nada a mais por isso e o blog ganha uma comissão pra poder continuar! E eu poderia ganhar a mesma comissão indicando qualquer hostel da plataforma. Os que eu sugiro aqui é porque realmente acredito que são boas opções! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *