A Cavideo ainda existe (e resiste)

Em tempos de Netflix e Torrent, é de se espantar que alguma locadora de filmes tenha ficado pra contar a história. Mas ficou. A Cavideo, produtora e tradicional locadora do Humaitá, é um verdadeiro paraíso para cinéfilos.

Com um acervo digno de colecionadores, eles se destacam justamente por conta disso. Dá pra passar um bom tempo fuçando suas prateleiras, repletas de filmes raros e fora do circuito. A organização quase virginiana, que leva em conta critérios como país e nome do diretor, também merece nota. 

Você é daquelas pessoas que passa 1h escolhendo filme e acaba não assistindo nenhum? Eles também cuidam disso: aproveite o conhecimento das pessoas que trabalham lá pra pedir recomendações personalizadas, muito melhor que qualquer algoritmo.

Da última vez que estive lá, aproveitei sem pressa o ambiente analógico e a nostalgia que ele me provocou. Ai, aquela época despreocupada, quando eu alugava vários filmes pro fim de semana pra aproveitar o prazo prolongado, passava em algum mercado pra comprar umas gordices e voilá. Sucesso. 

Nesse meio-tempo, conversei um pouco com a Sandra, gerente da Cavideo. Ela me contou que muitos antigos clientes dizem não saber que a locadora continua aberta. Seu público atual é, na maior parte, de pessoas que buscam títulos raros ou, então, que não se adaptaram às novidades tecnológicas. Ainda assim, não é nenhuma surpresa que os proprietários estejam lutando e resistindo todos os dias contra o alto custo do aluguel e todas as facilidades do mundo digital.

Saí de lá com a promessa, ainda não cumprida, de que voltaria com meus documentos para atualizar meu cadastro. 

Serviço

Cavideo: Facebook
Endereço: Cobal do Humaitá – Rua Voluntários da Pátria, 446, Loja 25 A, Humaitá
Telefone: (21) 2266-2239

Blog especializado em conteúdo sobre o Rio de Janeiro, com dicas tanto para turistas quanto para moradores.
2 comments
  1. Adorava alugar filmes na locadora, tenho uma relação muito nostálgica com isso. Sinceramente não sei de nenhuma que tenha resistido na minha cidade!

    1. Simm, eu também sinto a mesma coisa! Que pena.. De onde você é?

      Beijos,
      Manu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *