rio é perigoso

É seguro viajar para o Rio? – entre a precaução e o pânico

Na lista de perguntas frequentes, uma das primeiras é com certeza se é seguro viajar para o Rio. Esse é um tema bastante polêmico, mas não vou fugir da raia e vou responder isso pela minha perspectiva local. 

Normalmente as opiniões se o Rio é perigoso variam entre dois extremos, do pânico à alienação. Eu vou tentar um equilíbrio e ir pelo caminho do meio. A primeira coisa que eu preciso dizer é que o Rio é uma cidade grande e partida, de muita desigualdade social.

rio é perigoso
Foto: @magno.neves para o projeto @favelagrafia, via Instagram

Por isso, 90% (número inventado! hehe) dos casos horríveis ventilados na mídia de tiroteios, balas perdidas, etc, ocorrem em comunidades como o Alemão, Maré e outras, que ficam muito distantes da Zona Turística (Zona Sul), onde você provavelmente iria circular durante uma viagem.

Ocorrem casos fora dessa regra? Sim.

Mas pelo menos estatisticamente falando, são quase irrisórios. Sendo bem pragmática, você provavelmente corre mais risco de morrer em um acidente de carro do que vindo ao Rio.

O outro extremo, da alienação, é de quem fala como se o mundo fosse cor de rosa e que tudo que falam do Rio é intriga de paulista. Não, não é bem assim. Você precisa sim tomar alguns cuidados. Vou listar aqui os que eu acho mais importantes:

1. Escolha bem onde vai ficar

Como eu falei ali em cima, o Rio é uma cidade bem partida. Então escolha muito bem a localização de onde você for ficar. Se vier pra algum evento bem específico, como um show, e tiver pouco tempo pra passear, recomendo procurar se hospedar já ali na cara do gol.

Temos um post bem completo falando dos prós e contras de cada bairro do Rio, disponível aqui.

Reserve seu cantinho no Rio aqui!

2. Chegando na cidade

A não ser que você esteja viajando com pouquíssimo dinheiro, te aconselho a pegar um Uber ou Cabify (use o código WHENINRIO pra ter desconto – somente novos usuários), ou mesmo táxi quando tiver chegando na cidade, principalmente se vier de ônibus. No caso dos táxis, não aceite preços fixos, sempre abusivos.

Como esse é o momento em que você está com TODAS as suas coisas, isso te torna um alvo atrativo. Não tem motivo pra pânico, mas vale o registro de que o entorno da Rodoviária Novo Rio é considerado perigoso.

Quando for andar de transporte público, dê preferência ao metrô. Pegar ônibus no Rio pode ser um pouco confuso e há risco de assalto. 

+ Leia também: como sair dos aeroportos do Rio.

3. Somente o necessário

Depois que você chegar e se instalar, deixe suas coisas de maior valor guardadas com cadeado. Quando for passear pra desbravar a Cidade Maravilhosa, ande com documento cópia (principalmente se for passaporte), pouco dinheiro vivo e somente o necessário. Lembra das lições do Mogli!

4. Saia do roteiro óbvio

À medida que você for se ambientando, peça conselhos de segurança para a recepção no seu local de hospedagem ou para algum carioca que você conheça. Dizem que somos metidos, mas na verdade somos bem receptivos!

A ideia aqui é que quanto mais você sair do roteiro óbvio dos turistas, menos você vai chamar a atenção. 

5. Bom senso nunca sai de moda

Como você já deve ter percebido, a maioria das dicas aqui vale praticamente pra qualquer cidade do mundo. Isso porque o bom senso geralmente é mais do que suficiente para se fazer uma viagem segura ao Rio. Mas é sempre bom reforçar, até porque eu caaanso de ver turistas dando bobeira por aqui.

Então vamos recapitular aquele beabá?

Em lugares cheios, coloque sua bolsa ou mochila pra frente.
Se for o caso de multidão, como num show grande, Carnaval ou Ano-Novo, vale a pena usar doleira ou pochete.
Nunca deixe nada no bolso de trás.
Não deixe suas coisas longe de você. Na praia, se precisar peça pra deixar suas coisas com alguém enquanto você vai no mar. Só pedir pra “dar uma olhadinha” não é suficiente.
 Antes de tirar o celular ou câmera pra uma foto, dê aquela checada no entorno antes. E também não fica andando pra cima e pra baixo mexendo no celular. Se for algo urgente, pare em um lugar que se sinta seguro ou, melhor ainda, entre em alguma loja ou estabelecimento pra resolver isso e depois guarde de novo.

5. Confie na sua intuição

Desculpa se isso te parecer muito hippie, hahaha, mas a intuição também não pode ser deixada de lado quando falamos desse tema. Se um lugar te parecer deserto demais, se algo te diz que você não tá no lugar certo, é bem provável que isso seja verdade. Peça informações, se der, ou então pegue um táxi pra sair dali.

7. Turismo em favelas

Turismo em favelas é outro tema polêmico aqui. Nos “tempos áureos” das UPPs (cof, cof), muitos turistas subiam os morros da cidade quase despreocupados. Sem querer entrar no mérito político da questão, só o que posso dizer é que agora a situação mudou de figura. 

Mesmo as favelas da Zona Sul, que eram consideradas mais “tranquilas” em relação às outras, voltaram a ser palco de conflitos. Se você quer ter essa experiência, te daria 3 conselhos:

I) Não vá por conta própria. No máximo eu diria que dá pra ir de forma independente pro Vidigal, mas ainda assim eu sugiro que você vá com um guia local. Não só por uma questão de segurança, mas principalmente pra você ter informações e uma perspectiva diferente.

II) Sobre os guias, recomendo procurar uma agência que tenha responsabilidade social. É importante que pelo menos uma parte do dinheiro seja revertida para a comunidade visitada, e que o guia seja morador. Vou buscar recomendações e atualizo aqui assim que eu tiver!

III) Não vá pra fazer selfies e pagar de descolado no Instagram. Respeite a população local e não aja como um turista no safári! Faça perguntas, interaja, observe, enfim, faça com que essa seja realmente uma experiência de vida relevante. Por último, mas não menos importante: movimente a economia local, comprando água, almoçando, etc, em pequenos estabelecimentos da comunidade.

8. Considere contratar um seguro viagem

Se você estiver viajando com equipamentos caros, ou tenha alguma particularidade, considere contratar um seguro viagem pra evitar dor de cabeça.

O site SegurosPromo* compara todas as opções de seguro de viagem e te diz qual a melhor opção. E com o código WHENINRIO5 você ainda ganha 5% de desconto no valor final.

* Esse não é um post patrocinado por nenhuma empresa citada, OK? Mas ao utilizar nosso código/link, essa reserva gera uma pequena comissão para o blog. Esses valores são fundamentais para eu continuar produzindo conteúdo novo de qualidade. Obrigada pelo apoio!

Para dicas de segurança específicas para o Carnaval e o Réveillon, leia esses posts aqui:

Blog especializado em conteúdo sobre o Rio de Janeiro, com dicas tanto para turistas quanto para moradores.
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *