Guia de sobrevivência ao Carnaval de rua no Rio

Eu sempre falo que o Carnaval do Rio é uma experiência que todos devem ter, pelo menos uma vez na vida. Para os marinheiros de primeira viagem, fiz esse pequeno guia prático de “sobrevivência”, com tópicos como: fantasia, transporte, segurança e várias coisas!

Se você é carioca da gema e já está pós-graduado em Carnaval dê aquele scroll de leve assim mesmo. Algumas dicas podem ser úteis! 🙂 

  • Se fantasie

Pra mim, a parte mais legal do Carnaval é sem dúvida a fantasia. Tanto a preparação, que vai desde a ida ao Saara até o momento de confecção em casa, quanto sair na rua e ver fantasias lindas e criativas.

Eu admito que nem sempre fui uma pessoa com muita paciência e nem tenho talento pra essas coisas, então eu costumava ir pro Carnaval sem me preocupar muito com isso. Eu curtia, claro, mas passei a gostar 1000% mais quando eu comecei a me fantasiar.  Sério mesmo, vai por mim. 

 -> Veja também: guia de compras no Saara pro Carnaval

  • Use sempre roupa de banho

Você nunca sabe quando vai receber um banho de mangueira ou quando vai surgir a oportunidade de dar um mergulho na praia. Aliás, ainda sobre roupas: use roupas frescas e confortáveis. 

  • Combine com seus amigos mais ‘fechamento’ e tente ter um QG

O ideal é fechar com alguns amigos um grupo não muito grande e deixar o resto nas mãos do destino, kkkk. Uma das coisas mais difíceis no Carnaval é encontrar pessoas intencionalmente. E uma das mais fáceis é encontrar por acaso. Acredite: você vai encontrar muito mais pessoas queridas do que você imagina. 

Se tiver como ter um QG único, tipo uma casa de alguém que seja mais conveniente pra se locomover, perfeito! 

  • Dê preferência ao dia

A programação do Carnaval é extensa. Tem bloco de manhã, tarde, noite. Mas, na minha opinião, é durante o dia que a magia acontece. De noite, a energia costuma ser um pouco mais pesada. E pensa: tem vários blocos maravilhosos que saem 8h da manhã, então quando dá umas 21h, a maioria – dos reles mortais, pelo menos – já tá  pedindo arrego. Sem contar que no próximo dia tem mais, e provavelmente de manhã também.

Então ouça nosso amigo Ted Mosby e vá pra casa a la Cinderela.

Honrosa exceção de bloco de madrugada que vale muito a pena: Minha Luz é de LED.
Mais informações na agenda.

  • Faça um pit-stop por dia

O Carnaval tem programação pra te manter na rua 24 horas por dia, eu sei, mas calma: você não vai conseguir fazer tudo. Então passe pelo menos uma vez por dia em casa (ou no QG que você escolher) e se organize. Pelo amor da Deusa, tome banho, durma (!!!) e faça uma refeição mais saudável e caprichada.

Sentiu falta de alguma coisa importante durante o dia ou levou alguma coisa desnecessária? Essa é a hora de resolver isso também!

  • Se planeje, mas deixe espaço pro acaso.

É legal dar uma olhada na agenda e escolher seus preferidos. Tenha a sua agendinha à mão, mas deixa fluir. Pode ser que você não consiga chegar em algum bloco por questões de transporte, ou porque o bloco que você tá agora está muito bom ou por mil motivos que só acontecem no Carnaval.

E é aquilo: os próprios blocos não tem o horário (e muitas vezes nem o local) super rígido. Faz parte da magia do Carnaval. Se informe com os seus amigos (e na minha página/Instagram) ou então relaxa e segue o fluxo 😀

  • Usem filtro solar

Momento Pedro Bial: usem filtro solar. Essa é uma das coisas que as pessoas mais esquecem durante o Carnaval, e uma das mais importantes. O calor é de matar, e ficar muito queimado logo no primeiro dia pode atrapalhar os próximos dias. Imagina que saco ficar ardendo, descascando, em pleno Carnaval? Já aproveita e usa com a purpurina junto porque ajuda a fixar! Gel de cabelo também funciona muuuito bem, principalmente para fazer maquiagens de purpurina mais elaboradas. Dura quase o dia todo!

  • Água, água e mais água

E agora um momento mãe: bebam água! Você pode estar na base da cerveja ou de outros aditivos, rs, e o meu conselho será o mesmo. Uma das principais razões pras pessoas precisarem de ajuda médica no Carnaval é desidratação, e não o álcool/outras drogas em si. 

  • Sapatos confortáveis

Coisas que fazemos durante o Carnaval: dançar, pular e andar pra cacete. Tudo isso envolve seus queridos pés, então faça um favor a você mesmo e use um sapato confortável. “Ah, mas não combina com a minha fantasia”. Who cares? O que importa é você conseguir passar o dia na rua, fazendo todas essas coisas que falei e sem sentir dor. Imagina que saco perder um bloco incrível e voltar pra casa só pra trocar de sapato?

* Tem muita gente que sai de Havaianas. Bueno, eu particularmente não acho uma boa. No final do dia, seu pé vai estar pior que o do Cascão – isso se seu pé não for pisoteado em um bloco muito cheio ou se a tira do chinelo não tiver arrebentado!

  • Don’t worry, be happy 

Sim, vai estar calor pra cacete. Sim, vai estar muito cheio. Mas é Carnaval.  

Não adianta se estressar: relaxa e segue o fluxo. Se você realmente não tiver na vibe, tudo bem. Vai pra casa, liga o Netflix ou vai simplesmente dormir que é melhor! 

  • Respeita as mina

Pras mina: OK, “don’t worry, be happy”, pero no mucho (blog trilíngue, kekeisso, hahaha). Se alguém tiver te perturbando de alguma maneira, seja firme. O bom do Carnaval é que as ruas costumam estar sempre muito cheias, então o perigo de alguma coisa pior acontecer é menor. Use isso a seu favor e se a pessoa continuar insistindo, peça ajuda das pessoas que estiverem com você, ou até de desconhecidos que estejam ao redor.

Pros homi: Não é porque é Carnaval que tá tudo liberado, não. Respeito é fundamental em qualquer época do ano. NÃO É NÃO! E se a menina não estiver em condições nem de dizer sim ou não, então também é um não. 😀

  • Transporte

Durante o Carnaval, o Metrô cria vergonha na cara e finalmente é 24h, grazadeus! Normalmente, é a melhor forma de se locomover. Carro pode esquecer. Ônibus até funcionam, mas tem MUITO bloco na cidade toda. É difícil saber de onde vai surgir um no meio do caminho e você pode acabar ficando 1h parado no mesmo lugar.

Metrô no CarnaRio é tipo isso, hahaha

Mas, por favor, não seja aquela pessoa: a única do grupo que não tem Bilhete Único ou cartão pré-pago do Metrô. As filas ficam absurdas durante o Carnaval e você vai economizar um tempo precioso indo direto pra catraca. Seus amigos agradecem! 

De noite, a quantidade de blocos diminui e fica mais fácil menos perrengue voltar pra casa. Se tiver em grupo, talvez valha a pena pegar um táxi/Uber/Cabify. Sugiro baixar o app Vah: ele compara o preço da corrida por todos esses apps e te diz qual o mais barato. Qualquer dinheiro economizado durante o Carnaval é uma cerveja ou larica a mais!

  • Segurança

No Carnaval, roubos, ou seja, assaltos com algum tipo de violência, são relativamente raros.  Mas os furtos são bem comuns, por conta da aglomeração de pessoas. Então se liga:

– Não leve muita coisa de valor. O meu kit básico é: chave, carteira de identidade, algum dinheiro, cartão de débito e celular. Se você tiver aquele tijolão encostado em casa que liga, manda SMS e tem o jogo da cobrinha, eu acho uma boa levar! E a não ser que você seja um fotógrafo e viva disso, deixe sua câmera poderosa em casa.

Nunca, nunca, nunca deixe suas coisas no bolso, principalmente celular. Se não tiver jeito, deixe pelo menos no bolso da frente e preste atenção em dobro! Aqueles porta-dólar ou as famigeradas pochetes podem ser uma boa opção, sim (polêmico, hahaha).

– Quando estamos muito lokos no rolê, muitas vezes tomamos decisões um pouco ruins. A mais comum é ir andando de um bloco pro outro de noitinha, passando por lugares meio desertos. Sim, no Carnaval as ruas ficam muito cheias e ocupadas, mas nunca é na cidade toda. À noite, evite principalmente o Aterro e alguns pedaços do Centro, quando não tiver tendo bloco nas imediações. Ande sempre em grupo e ouça sua intuição!

  • Banheiro

No Carnaval, é uma das poucas épocas do ano que a Prefeitura lembra que as pessoas têm necessidades fisiológicas e resolve colocar banheiros químicos na rua. Mas, obviamente, nunca é o suficiente! Então algumas considerações sobre isso:

  • Vá pra fila antes de ficar muito apertado pra não ficar no desespero.
  • Bares e restaurantes costumam ou cobrar pelo uso do banheiro ou restringir a clientes. Compre algo que você compraria nos ambulantes (água, cerveja, etc) e use o banheiro dos estabelecimentos como cliente. Alguns olham feio porque sabem que você comprou por causa disso, mas, de novo: who cares?
  • A não ser em lugares realmente vazios (e mesmo assim tem sempre um risco), não aconselho a fazer na rua. A multa pela fiscalização do Lixo Zero é de R$600,00, chora.

Sentiu falta de alguma dica? Compartilhe sua sabedoria carnavalesca com a gente, pufavô! A caixa de comentários está sempre mais do que aberta <3

2 comentários Adicione o seu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *