O que fazer em Santa Teresa: muito além do bondinho

Santa Teresa ou simplesmente Santa, para os íntimos, é um ótimo passeio para se fazer no Rio de Janeiro em um dia nublado. O bairro conta com um pólo gastronômico super variado e competente, bares charmosos e mirantes com vistas espetaculares. O passeio de bondinho é um dos grandes atrativos, mas está longe de ser a única coisa que tem a oferecer. Por isso, resolvi criar esse post com dicas bem completas e locais de o que fazer em Santa Teresa, com base em todos os anos que morei lá.

Foto: Guia da Semana

Como chegar e informações úteis

Se você tiver pouco tempo na cidade e quiser otimizar, uma boa sugestão é começar seu dia na Lapa (Arcos e Escadaria Selarón) e de lá subir para Santa Teresa, de bonde ou de ônibus. O bonde custa R$20, ida e volta, inclusive para cariocas e residentes do Rio. Me disseram que se pegar o bonde só para descer não precisa pagar, mas admito que ainda não consegui ir lá testar e nem confirmar a informação. 

Importante: em Santa Teresa não tem banco (o único 24h fica dentro de uma farmácia ao lado do Bar do Gomes, na Rua Áurea) e nem posto de gasolina. Se for subir com seu próprio carro, preste atenção aos trilhos do bonde, especialmente se estiverem molhados. Achar vagas não costuma ser muito complicado!


O que fazer

Uma boa dica para explorar o bairro é começar o roteiro no Largo dos Guimarães, onde se concentram a maior parte dos atrativos, de lojas de artesanato até uma mercearia à moda antiga (daquelas com balança e tudo). Sugiro ir andando sem rumo mesmo, apreciando a arte urbana dos muros e as ruas de paralelepípedos.

Siga em direção ao Largo do Curvelo e aproveite para conhecer o Parque das Ruínas, que pra mim é uma das melhores opções de o que fazer em Santa Teresa. A arquitetura do prédio é linda e a vista é incrível. Aos fins de semana, costumam rolar eventos culturais por lá.

Ali do lado tem também o Museu Chácara do Céu, que vale uma visitinha rápida. Para completar o circuito cultural, uma boa parada é o Centro Cultural Laurinda Santos Lobo, que tem uma programação interessante – embora inconstante -, de exposições e peças de teatro.

Foto: Leonardo Martins, via Flickr

Já no time dos mirantes, eu não podia deixar de falar do Mirante Dona Marta, que tem uma das vistas mais espetaculares do Rio e é de graça! Apesar de poder ser acessado via trilha pela comunidade de mesmo nome, em Botafogo, a melhor maneira de chegar lá é de carro por Santa Teresa.

Foto: Rodrigo Silvestri, via Wikimedia

Importante: caso não tenha carro, combine com o motorista do táxi ou Uber para que ele te espere. Uma vez lá em cima, vai ser muito difícil conseguir outro para te buscar. Em questões de segurança, o Mirante é considerado seguro durante o dia, principalmente nos fins de semana, feriados ou durante a temporada de verão. Mas vale sempre ficar atento!

 

Restaurantes

Para almoçar, o restaurante mais tradicional (e turístico) é o Bar do Mineiro, que tem no cardápio feijoada e outros pratos típicos. Mas se você quer um conselho, te recomendo o vizinho Simplesmente, também de comida brasileira e com preços melhores.

A Adega do Pimenta, especializada em comida alemã, e o Café do Alto, com pratos nordestinos no cardápio, também merecem ser citados. Caso você seja do time dos veggies, a melhor pedida é experimentar a pizza vegana do Tribas Pizzas. O ambiente é bem simples, quase sem graça, mas as pizzas são bem saborosas. O Restaurante Aprazível é super recomendado, com sua vista incrível e privilegiada, mas os preços são bem mais altos. Melhor deixar para ocasiões especiais!

Outra sugestão é a experiência incrível de tomar café da manhã na Cereal Panificação Artesanal. O valor do café dá direito a um buffet liberado, em que tudo é feito artesanalmente (e com muito amor) pela dona do espaço, Ana Lima. Pra ficar ainda melhor, o ambiente é uma casa maravilhosa rodeada de verde. Embora não seja bem no burburinho do Largo do Guimarães, fica no caminho para o Mirante Dona Marta. Ah, vale dizer que o café só é servido nos fins de semana, de 09h às 13h.

Bares

Baratos e descontraídos

Na calçada em frente ao Mineiro e ao Simplesmente, costuma ter um burburinho de gente, especialmente de quinta a domingo. Mas o melhor lugar para beber barato é o Sobrado das Massas ou Estação do Chopp (eles atendem pelos dois nomes), perto do Largo do Curvelo. A cerveja Original 600 ml custa incríveis R$8,00 (Fevereiro 2017)!


Seguindo na direção oposta ao Largo do Curvelo, para a Rua Áurea, você encontra o Bar do Gomes, outro bar imperdível e super tradicional. Ali muitas vezes rola um som improvisado da galera que mora por ali e a boa é beber em pé mesmo. O interior do bar é uma atração à parte, com uma decoração que remete aos bares antigos.

Mais sofisticados

Quando penso em bares sofisticados no bairro, o primeiro que me vem à cabeça é definitivamente o charmoso Bar dos Descasados, no interior do Hotel Santa Teresa. Os preços são pouco convidativos, mas valem a pena para uma experiência diferente no início do mês, rs. Aos domingos costuma rolar apresentações de jazz, sem couvert.  Outras boas opções são o Explorer Bar e o bar do hotel super ‘cool’ Mama Shelter.

Se quiser valorizar a prata da casa, não deixe de pedir uma caipirinha com a cachaça Magnífica, nascida e criada no bairro. Falando nisso, veja também: melhores lugares para beber cachaça no Rio.

Bar dos Descasados, via TripAdvisor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *