Mitsuba: o Azumi da Tijuca

Estou morando na Tijuca há alguns meses e confesso que a gastronomia do bairro ainda não me empolgou muito. Tive uma boa experiência na Wursteria e em outros restaurantes, mas nada que fosse tipo “Uau!”. No lindo dia em que eu me formei na faculdade (yey!), minha mãe me chamou para comemorarmos num japonês e fomos no Mitsuba, por indicação de um amigo dela.

Aliás, primeira dica sobre o restaurante: a não ser que você seja meio Kardashian, é um restaurante para ocasiões BEM especiais. Os preços assustam, mas já adianto que valem cada centavo. Quem me conhece ou me acompanha aqui no blog, sabe que eu não costumo dar dicas de lugares caros e que sofisticação e finesse não fazem meus olhos brilharem.

Mas o Mitsuba é diferente. A começar pelo fato de que o lugar é bem discreto, tanto na fachada quanto por dentro. A decoração é simples, mas de bom gosto. Jeitosinho pode ser uma boa palavra. No segundo andar, tem umas mesas um pouco mais reservadas, mas não chega a ser um ambiente romântico. 

Embora pequenos detalhes como a toalhinha quente e a porcelana tipicamente japonesa tenham me chamado a atenção, não é pra isso que o Mitsuba está ali. O forte deles é a comida. Ponto. Algo me disse, ou melhor, a família com traços japoneses sentada na mesa ao lado, que aquele era um lugar bem legitimo. Começamos os trabalhos com uma porção de lulas empanadas (R$39,00) e duas doses de saquê (R$19 cada), para brindar minha formatura. A lula tava com a casquinha crocante por fora e a carne macia por dentro, exatamente como tem que ser. 

Depois, optamos pelo combinado 36 peças (R$123,00), que conseguiu surpreender mesmo no básico, com peixes frescos e de qualidade impecável. O sashimi de salmão chegava a dissolver na boca! Pra quem estiver querendo um lamén nesse inverno, a casa tem uma receita que é bem elogiada. Não cheguei a experimentar, vai ficar pra próxima.

Resolvemos ostentar e pedimos também porções de hot philadelphia (6 peças, R$36,00). Quando chegou, olhei pro garçom e perguntei “esse é o hot?”. Sim, no nosso hot não fritamos o arroz, só a parte de dentro. Ainda não convencida, olhei de novo e falei “mas tem kani”. Sim, o nosso hot tem kani. Experimenta, você vai entender! Bom, com tudo que comemos, o Mitsuba merecia mesmo que eu pelo menos experimentasse antes de falar alguma coisa. E é aí que você vê quando os chefs merecem realmente o título que têm. O hot não só é diferente, como é ainda mais delicioso que o normal, com a grande vantagem de ser mais leve. Dá pra comer sem ficar depois com aquela sensação pesada que a fritura acaba deixando, sabe? 

Como se não bastasse todo esse frenesi gastronômico, ainda fomos mais uma vez surpreendidas na hora da sobremesa. Pedimos o sorvete frito (R$20,00), que vale principalmente pela apresentação. Depois desse primeiro impacto, o sabor acompanha a expectativa e não decepciona. A combinação do gelado do sorvete com o quentinho da casca de pão de ló deixa a sobremesa tão inusitada quanto saborosa. 

Me deu vontade de ir cumprimentar o chef mas, como não foi possível, fica a esperança de que essa resenha chegue até ele.

Mitsuba
Rua São Francisco Xavier, 170, Maracanã.
O cardápio com todos os preços está disponível para consulta no site do restaurante.
Atenção: aos fins de semana, principalmente para jantar, é recomendável fazer reserva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *