Um dia na Região Portuária do Rio

Durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, milhares de pessoas, entre turistas e cariocas, foram para o Boulevard Olímpico acompanhar a transmissão dos jogos, conhecer o novo espaço ou até mesmo assistir a shows gratuitos. Bom, os Jogos acabaram, mas a Praça Mauá continua lá. Nesse post, vou fazer um roteiro de um dia pela Região Portuária do Rio, com o Museu do Amanhã e outros pontos para você aproveitar a “viagem” e explorar toda a região.

Comece pelo Museu do Amanhã. A proposta do museu é discutir o futuro do planeta, principalmente pelo viés da relação do homem e nossas práticas. Faz pensar sobre sustentabilidade e dá um aperto no coração em pensar nas atrocidades que os seres humanos são capazes de fazer e em qual futuro estamos deixando para nossos filhos e netos.

O ingresso custa R$10,00 inteira, e a meia-entrada de R$5,00 vale para: cariocas ou moradores da cidade do Rio de Janeiro, menores de 21 anos, pessoas com deficiência e estudantes de universidades particulares e públicas. A gratuidade é para todos nas terças-feiras, e nos demais dias, para: crianças até 5 anos e idosos a partir de 60; estudantes da rede pública de ensino fundamental e médio; professores da rede pública de ensino, incluindo universidades; funcionários de museus, do Santander e da Shell e moradores da Região Portuária (necessário cadastro no Programa Vizinhos do Amanhã). 

O museu não abre às segundas e nos outros dias, funciona de 10:00 às 17:00. Compre online e se programe.

-> Atenção: o museu não costuma funcionar durante o Carnaval!

Logo no início da exposição, tem um pequeno vídeo de 15 minutos chamado “Cosmos”. Trata da origem do universo em uma projeção de 360 graus, estilo planetário. Todo mundo deita no chão e assiste. É uma experiência sensorial de imersão muito interessante. Seguindo para o interior do museu, tem a área chamada “Antropoceno”. Tem uns totens de 10 metros de altura passando um vídeo sobre a vida nas cidades e alguns fatos bizarros. Se não tiver muito cheio, dá pra assistir deitado em sofás também (melhor museu, hahaha).  

  museu do amanhã_antropoceno

O museu é todo interativo e tecnológico. Tem outras seções também, mas a visita toda não deve levar mais que 2 horas.

Próxima parada: o mural “Etnias”, do Kobra. Ele já foi reconhecido pelo Guinness Book como o maior mural de grafite do mundo. Leva esse nome, porque cada personagem retratado no mural representa um continente. Segundo o que ele disse em uma entrevista, a ideia veio dos cinco anéis olímpicos, já que o mural foi encomendado e inaugurado logo antes do evento. 

kobra-todos_somos_um
                                       Foto retirada do site oficial www.eduardokobra.com

Por mais incrível que seja o mural – e realmente é – não deixe de ir até o final dos armazéns. Tem muitos outros grafites interessantes e também o AquaRio (R$80 inteira e R$40 meia).

Para fechar o seu dia com chave de ouro, vá no MAR (Museu de Arte do Rio), ali pertinho. No terraço, você consegue ver toda a Região Portuária do Rio. Se tiver na hora do pôr do sol, melhor ainda! Dica extra: geralmente na última sexta do mês, a partir das 18h, o museu organiza o evento “MAR de Música”, com festas e shows. É de graça, ali no pilotis do primeiro andar.

museu-de-arte-do-rio

Tá achando pouco? 

Aproveite o passeio e vá até a Pedra do Sal. A partir das 18h, às segundas e sextas, tem roda de samba. De graça, na rua. Fica bem cheio, mas é um programa imperdível. Se não for nesses dias e horários, uma visita rápida é válida mesmo assim. Nas paredes tem uns grafites interessantes e é um ponto de grande importância histórica dessa área chamada Pequena África. Como o nome diz, ali era um ponto de desembarque de sal dos navios e depois passou a ser ponto de encontro dos sambistas. Por isso, o lugar é conhecido como berço do samba.

pedra-do-sal

Se você subir as escadas, vai chegar no Morro da Conceição. Ali é uma Santa Teresa menos ‘cool’ e gourmetizada. Você vê crianças jogando bola na rua, casas com portas abertas e mercearias à moda antiga.  Divirta-se <3

INFO: nesse mapa, eu coloquei bandeiras vermelhas nos lugares que eu mencionei no post. Como você pode ver, todos os pontos são perto um do outro. Para chegar na Praça Mauá, o melhor jeito é ir de metrô até a estação Cinelândia ou Carioca, e dali pegar o VLT em frente à estação. Depois, salte na Praça Mauá para começar o seu tour. A passagem para o metrô + VLT juntos custam R$7,00.

Atenção: o VLT não tem sistema de cobrança das passagens. Você tem que comprar o cartão e validar dentro do vagão. Se você for pego sem ter validado, pode receber uma multa no valor de R$170,00.

-> Veja também: um dia em Santa Teresa

Atualizado em: 15/07/2017.

1 comentário Adicione o seu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *