Viajar com pouco dinheiro: uma experiência Worldpackers no Rio de Janeiro

Quer saber como viajar com pouco dinheiro pro Rio, uma das cidades mais caras do Brasil? Oi, meu nome é Julia Hoppe, sou do Rio Grande do Sul e acabei de passar um mês no Rio trocando trabalho por hospedagem, gastando bem pouco! Daí aceitei o convite do When in Rio para falar um pouco sobre a minha experiência Worldpackers e quem sabe incentivar outras pessoas a fazer o mesmo. Se liga só…

Índice:

  • Sobre a Worldpackers
  • Meu anfitrião: Da Lapa Design Hotel
  • Meu destino: Rio de Janeiro
  • Outras vagas Worldpackers no Rio

Sobre a Worldpackers

Para quem ainda não conhece, a Worldpackers é uma plataforma que conecta viajantes e anfitriões para uma troca de trabalho por estadia e, às vezes, alimentação. Essa é uma baita oportunidade de viajar com pouco dinheiro, passando um tempo maior em um lugar.  Afinal, viajar é um direito universal! Interessante, né?

Como viajante, tu podes optar por trabalhar em albergues e pousadas, ONGs, pequenos negócios, acomodação em casa de família e por aí vai. No site tem vagas em vários lugares do mundo inteiro, desde administrar redes sociais até ajudar na recepção! Os viajantes têm uma experiência cultural bem mais aprofundada e com custos super reduzidos. Eu, particularmente, prefiro mil vezes ter esse contato maior com os locais, além de que o bolso agradece, né?

Mas aí vem a preocupação: é seguro? A primeira dica pra evitar furadas é sempre ler as avaliações! O ideal é procurar lugares de até 30h de trabalho por semana e que ofereçam pelo menos o café da manhã (se não for uma ONG, claro). Depois de escolher, é hora de caprichar na apresentação (um perfil completo ajuda muito!) e torcer por uma resposta positiva. Qualquer pessoa pode ver as vagas, mas para confirmar uma viagem, é cobrada uma taxa anual ($49 dólares*), que te dá direito a usá-la quantas vezes quiser nesse período. E o melhor é que é uma empresa brasileira, então tanto o site quanto o atendimento do suporte são em português!

* Manu aqui: caso você resolva se cadastrar na Worldpackers, use o código  #WPWHENINRIO pra ganhar $10 (20%) de desconto na assinatura anual. Esse não é um publipost, eu juro, hahaha, mas eu ganho uma comissãozinha por quem se cadastrar com o código e isso me ajuda a continuar produzindo conteúdo de qualidade no blog. Ajudaê a manter esse sonho vivo 🙂

Meu anfitrião: Da Lapa Design Hotel

Agora vou falar da melhor parte – a minha experiência incrível no Da Lapa Design Hotel. Se tu és do Rio e ainda não conhece, aparece lá na Rua do Lavradio, 200 para ver o espaço, beber uma cervejinha ou apenas admirar as obras do artista Helio Pellegrino, que cuidou com tanto carinho desse espaço. Tem um post review completo do hotel aqui no When in Rio, pra quem quiser saber mais!

Eu, particularmente, me sentia sempre inspirada por estar nesse lugar que recebe tantas atividades culturais legais. Só no tempo em que trabalhei lá, teve Sarau da Lira com a participação de artistas fenomenais, Afro Gourmet com comidas deliciosas da querida chef Dandara Batista e até uma peça de teatro infantil. Foram atividades diversas que só preenchiam o meu coração de amor!

No início, fiquei com aquele friozinho na barriga de fazer uma coisa pela primeira vez, sabe? O primeiro atendimento ao hóspede, falando no telefone… Normal! Mas toda a equipe do hotel foi super compreensiva, esclareceu todas minhas dúvidas e nunca reclamou por ter de explicar mais de uma vez, até que eu pegasse o jeito da coisa e me sentisse segura para agir sozinha. 

As acomodações do hotel são todas novinhas e bem cuidadas. Os Worldpackers costumam dividir um único quarto, porém eu acabei ficando a maior parte do tempo em um compartilhado feminino, já que os outros WP eram todos homens. Pra quem ia viajar com pouco dinheiro, eu tive até mais conforto do que eu imaginava!

Já o horário de trabalho era bem flexível. Confesso que isso me incomodou um pouco no começo, porque eu sou uma pessoa mega metódica (inclusive eu perguntei um mês antes de chegar como seriam meus horários, hahaha, só para você ter uma idéia). Porém, no andar da carruagem, percebi que essa flexibilidade era positiva, sendo só uma questão de conversar para combinar os horários.

Não tínhamos uma escala fixa, então tiveram dias em que eu trabalhei de 07h às 12h, dia de evento que iniciei às 17h e fui até 23h, assim como dias em que não precisei fazer nada e só me jogar na cidade carioca. Claro que tudo depende da vaga, mas no meu caso, eram 24 horas semanais, com duas folgas e isso foi respeitado. 

-> Aplique para vagas no Da Lapa Design Hotel no Worldpackers, aqui.
E use o código #WPWHENINRIO se quiser ter $10 de desconto (20%) na assinatura anual.

 

Meu destino: Rio de Janeiro

Além de poder viajar com pouco dinheiro, a minha experiência de trabalhar no Rio acabou me dando a perspectiva de uma pessoa que não é nem turista nem local. E olha que essa foi a 6ª vez que eu já vim pro Rio na vida, 3 delas só em 2017! Depois de ficar hospedada em Copacabana, Ipanema e os bairros mais turísticos, resolvi me aventurar mais. Imaginem só, uma guria que viaja sozinha (!!! louca ela?), para o Rio de Janeiro ( sim, ela é doida, tão violento…), e ainda por cima fica na Lapa.

Gente, foi a melhor escolha que pude fazer! Eu fui sem medo, porque pra mim o Brasil todo está perigoso: é um problema latente, econômico e social do nosso país. Fato é que a Lapa é o coração do Rio de Janeiro: é o povo, é o fervo, é a essência, é o bairro que fala. Pra ficar melhor ainda, a estação de metrô Cinelândia fica do ladinho do hotel, a 800m, ou seja, eu conseguia ir à praia ou a qualquer canto da cidade tranquilamente.

Poderia ficar aqui falando eternamente de todas as coisas lindas que fiz, mas vou resumir pra vocês algumas das minhas melhores lembranças:

1. Conheci a quadra da Mangueira e depois comi um frango à passarinho com a Velha Guarda;

2. Andei com a bike do Itaú por toda a orla de Copacabana e Ipanema até chegar no Leblon, com direito a um mergulho pra refrescar e esse pôr-do-sol: 

3. Visitei a UERJ enquanto rolava um evento de empoderamento negro #uerjresiste;

4. Subi a comunidade do Vidigal de moto-táxi e desci de Kombi, contrariando a todos que diziam para eu não fazer isso sozinha;

5. Saí pra correr no Aterro e depois tomei uma água de coco beeem gelada enquanto assistia a um jogo de basquete;

6. Fiz a trilha da Urca pra assistir ao pôr-do-sol lá de cima e vi como o Rio de Janeiro, realmente, continua lindo;

7. Participei de um projeto social lindo, a Gastromotiva, que busca transformar a vida de pessoas em vulnerabilidade social através da comida.

8. Caminhei por Santa Teresa, pelo Parque Lage, pela feira do Lavradio… É, caminhei bastante!

9. Almocei no Restaurante da Chiquinha da Feira de São Cristovão (porque nem só de churrasco vive um gaúcho);

10. Voluntariei em outro projeto social lindo que entrega quentinhas para moradores de rua;

11. Me emocionei com os fogos de Copacabana no Réveillon;

12. Sacudi no show do BaianaSystem no Circo Voador. Ainda no Circo, passei bastante glitter no bloco Amigos da Onça (que inclusive me fez querer voltar pro Rio no Carnaval);

13. Passei por praticamente todos os bares existentes na Mem de Sá e virei cliente fiel do Bar da Cachaça.

Isso tudo em um mês! Preciso dizer que foi tudo maravilhoso? Pra finalizar, não podia deixar de agradecer a todos seres humaninhos que dividiram comigo essa experiência no Rio. Apesar de eu ser uma mulher bem independente e desapegada, nada disso teria tido o brilho e o calor do coração sem vocês, cada qual com sua particularidade, com sua forma de dar afeto e cuidado. Principalmente, meu forte abraço aos meus parceiros de jornada Worldpacker, vocês são só amor!

E cabe tanta doçura em uma foto só?

Uma publicação compartilhada por Juli CH (@jchoppe) em

Então é isso pessoas, se vale a pena? Minha resposta é: SE JOGA, sem dúvidas vale muito a pena essa experiência de vida. Creio que o essencial nisso tudo é estar aberto para o mundo e para o novo, porque assim tu engrandece a alma. Se tiverem qualquer dúvida, podem falar comigo no Instagram (@jchoppe). Lá tem também mais fotos desse período incrível!

Outras vagas Worldpackers no Rio

Use o código #WPWHENINRIO pra ter $10 de desconto(20%) na assinatura anual do Worldpackers.

Pura Vida Hostel, Copacabana: Recepção, bar e até Seo Expert. Em média 25h/semana, 2 dias livres e café da manhã incluído.

Casa do Mundo, Barra (com metrô pertinho): Recepção, bar e chefs de cozinha. Em média 24h/semana, 3 dias livres e café da manhã incluído.

Hospedaria Rio Hostel, Botafogo. Produção e edição de vídeo. 20h/semana, 3 dias livres e café da manhã incluído.

Ipanema Beach Hostel, Ipanema. Recepção e ajuda na limpeza. 28h/semana, 2 dias livres e café da manhã incluído.

Quintal do Maracanã, Tijuca. Grafiteiro/pintor/artista. Pintar os muros do hostel e em troca 1 mês de hospedagem com café da manhã.

Favela Experience, Vidigal. Mídias digitais, fotografia, recepção e para trabalho social. Em média 30h/semana e 3 dias livres, sem café da manhã.

Hereda Surf Hostel, Recreio. Ajudar a limpar e cuidar do hostel. 28h/semana, 2 dias livres e café da manhã incluído.

* Todos os lugares indicados possuem boas avaliações. Mas, claro, são só sugestões. Ah, e as condições de trabalho podem ser alteradas pelos anfitriões a qualquer tempo, então não me responsabilizo por essas mudanças.

Salve o post no Pinterest para consultar depois:

worldpackers-trabalho-por-hospedagem-rio

Blog especializado em conteúdo sobre o Rio de Janeiro, com dicas tanto para turistas quanto para moradores.
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *